Joseph Smith e a semente escolhida

O Ancião de Dias, de William Blake.

O Ancião de Dias, de William Blake.

A restauração do sacerdócio na dispensação de Joseph Smith teve início muito antes da vinda de João Batista em 1829 (D&C 13). Joseph Smith não apenas recebeu mensageiros que lhe entregaram chaves do sacerdócio, mas ele próprio foi um dos mensageiros divinos com a missão de restaurar o governo de Deus.

Em uma revelação dada em 1832, Cristo disse que “sem suas ordenanças e a autoridade do sacerdócio, o poder da divindade não se manifesta aos homens na carne; pois sem isso [o sacerdócio], nenhum homem pode ver a face de Deus, o Pai, e viver” (D&C 84:21-22).

No entanto, aos 14 anos Joseph Smith viu o Pai e seu Filho e sobreviveu. Como isso teria sido possível sem uma ordenação prévia ao sacerdócio? É minha opinião que isso foi possível porque Joseph Smith havia nascido com uma porção de autoridade sacerdotal, ou com uma ordenação prévia ao seu nascimento em 1805. Continuar lendo

Utah, único estado americano com fuzilamento

O governador de Utah assinou na segunda-feira passada (23/03) a lei que permite a execução de condenados à morte por fuzilamento, quando não for possível o uso de injeção letal. Com a lei aprovada pelo republicano Gary Herbert, Utah volta a ser o único estado nos EUA a de facto permitir a execução por fuzilamento. [1]

Cadeira usada para fuzilamento na Penitenciária Estadual de Utah, na cidade de Draper. Foto: Deseret News.

Cadeira usada para fuzilamento na Penitenciária Estadual de Utah, na cidade de Draper. Foto: Deseret News.

Numeroso grupos pediam um veto do governador. Segundo seu porta-voz, “preferimos usar nosso método primário da injeção letal (…). No entanto, quando um júri toma a decisão e um juiz assina a ordem, fazer cumprir a decisão legal é obrigação do executivo”.

Estados americanos que permitem a pena de morte enfrentam dificuldades para adquirir as substâncias que fazem parte da injeção letal, vindas principalmente de laboratórios europeus. A União Europeia defende a abolição universal da pena de morte.

A última execução por pelotão de fuzilamento em Utah ocorreu em junho de 2010. Ronnie Lee Gardner era culpado de dois assassinatos, cometidos em 1985. Após ter a opção de escolher o uso de injeção letal, Gardner pediu para ser fuzilado: “acho que é minha herança mórmon”, explicou. Continuar lendo

Os Que Se Opuserem, Manifestem-se

Em menos de um mês teremos a Conferência Geral Anual da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Como em todas as outras 184* conferências antes desta, a Primeira Presidência apresentará o nome das Autoridades Gerais para um voto de apoio dos membros da Igreja. Nessa oportunidade, membros da Igreja têm o direito de expressar os seus apoios aos seus líderes eclesiásticos.

A votação numa Conferência Geral oferece uma oportunidade para membros da Igreja expressarem seu apoio aos líderes… ou sua oposição a eles.

A votação  em numa Conferência Geral oferece uma oportunidade única para membros da Igreja expressarem seu apoio aos Apóstolos e Profetas… ou sua oposição a eles!

Ao contrário do que muitos imaginam, porém, essa também é a oportunidade de membros da Igreja darem voz às suas discordâncias com quaisquer homens que estejam em posições de poder e liderança na Igreja. Esse voto não é obrigatória e exclusivamente de apoio, mas pode também servir de oposição.

E um grupo de membros da Igreja planeja justamente isso.
Continuar lendo

Governador Mórmon Apóia Casamento Gay

Contrariando a expressa vontade da liderança eclesiástica da Igreja SUD, o ex-governador de Utah (2005-2009) e ex-candidato à presidência dos EUA (2012) Jon Huntsman, jr., assinou um documento legal chamado amicus curiae para ser entregue à Suprema Corte do país em apoio à legalização do casamento homoafetivo em âmbito nacional.

Jon Huntsman, jr., não vê conflitos entre sua religião, a vontade dos líderes eclesiásticos de sua Igreja, e sua independência pessoal para julgar o que é ou não é preconceito ou ético.

Jon Huntsman, jr., não vê conflitos entre sua religião, a vontade dos líderes eclesiásticos de sua Igreja, e sua independência pessoal para julgar por si mesmo o que é ou não é ético, o que é ou não é preconceito.

Continuar lendo

Livros Para Mórmons

Hoje é o Dia Mundial do Livro.

Como não poderia deixar de ser, isso significa que é o dia mundial de listas de livros.

Eis, portanto, a minha lista pessoal de sugestões para 11 livros que todo Mórmon deveria ler.

Ao menos todo Mórmon que deseja ser minimamente informado e educado sobre o Mormonismo. E que, infelizmente, saiba ao menos ler em inglês, posto que nenhum deles se encontra disponível em português.

Continuar lendo

As Mulheres de Utah

Com a chegada do Dia das Mulheres esta semana, retornamos às considerações de como as mulheres Mórmons são tratadas dentro da cultura e da religião SUD. É fato conhecido que o estado de Utah, nos EUA, é a terra dos Mórmons. Além de gozar de uma maioria populacional absoluta no estado (com  62% da população total), Mórmons gozam de absoluto controle político, sendo o atual governador de Utah Mórmon (além de todos os governadores, com apenas duas exceções, eleitos na história também Mórmons), todos os atuais Deputados Federais e Senadores Federais, e 80% dos Deputados Estaduais também todos Mórmons.

Com isto em mente, pode-se extrapolar como Mórmons enxergam e tratam suas mulheres através de uma análise de como o estado de Utah trata, legalmente, suas cidadãs.

Um curioso artigo no New York Post cita alguns estudos que, no mínimo, chamam a atenção:

Continuar lendo

Simplesmente Poliana – uma história de fé, amor e esperança

polianaReflexões de um pai mórmon sobre a vida e a morte de sua filha
Muitos são os sentimentos de quem perde um ente querido. Alguns sentem remorso por não terem feito o que estava ao seu alcance. No meu caso, o maior desafio é saber que teremos que esperar mais do que gostaríamos para revê-la novamente. Se por um lado o sentimento de perda nos faz sentir vontade de trocar absolutamente TUDO pela vida de quem tanto amamos, por outro a esperança bem fundamentada e o apoio dos amigos nos dão força para atravessar nosso deserto pessoal.
Olá, amigos. Há algum tempo, vi uma publicação aqui no site dizendo que o Vozes Mórmons gostaria de contar com mais vozes, de diferentes pontos de vista,  incentivando pessoas de todos os lugares a publicarem suas reflexões sobre temas ligados ao mormonismo. Simplesmente Poliana – uma história de fé, amor e esperança é um livro escrito por um membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, sobre suas experiências e de sua família, por ocasião da morte de sua filha, então com nove anos de idade. Continuar lendo

Como lidar com a história da Igreja?

“As crianças começam por amar os pais, à medida que crescem tornam-se seus juízes, perdoam-lhes, às vezes”.

                                                                                           Oscar Wilde, em O Retrato de Dorian Gray.

Na semana anterior à VI Conferência Brasileira de Estudos Mórmons, soube que um dos temas abordados seria baseado em uma experiência que Suzana Nunes tivera há pouco tempo.

Conforme nos contou Suzana, uma moça que se preparava para servir em uma missão de tempo integral pediu-lhe que fizesse algumas perguntas sobre a Igreja. A moça, de antemão, mencionou querer perguntas difíceis para treinar sua retórica e testar seu conhecimento sobre o mormonismo.

Suzana então preparou dez perguntas, que podem ser transcritas mais ou menos assim:

Imagem: Florêncio Batista.

Imagem: Florêncio Batista.

A reação da moça que solicitou o teste deixou Suzana reflexiva, segundo esta nos contou dia 7, sábado. A futura missionária não somente desconhecia aquelas coisas, como automaticamente classificou tudo aquilo como mentira.

Ao entrar em contato com essa experiência, veio-me à mente a ideia de fazer as mesmas perguntas a dois rapazes que estão preparando os papéis do chamado missionário.

A resposta dada pelos rapazes foi a mesma da moça sabatinada pela Suzana, com a pequena diferença de que um deles colocou como verdadeira a pergunta sobre Joseph ter sido maçom, pois ouvira sobre isso de um amigo, em um acampamento da Igreja.

As perguntas foram direcionadas a jovens adolescentes, mas não creio que as respostas teriam sido muito diferentes se as mesmas perguntas fossem lançadas a pessoas mais velhas, com mais tempo e posição na igreja.

Neste artigo, quero levantar possíveis razões para o desconhecimento que mórmons têm de sua própria história, as questões culturais que concorrem para isso e propor caminhos para que as próximas gerações possam lidar de uma maneira mais saudável com os assuntos considerados espinhosos de sua tradição religiosa. Continuar lendo

Concurso: Profecias

Quando uma profecia é válida? Quando é inspirada? E quando é apenas uma “opinião de um homem”?

Este é uma questão particularmente importante tendo em vista o recente debate sobre a propriedade de se discutir a relevância ou a preeminência de pronunciamentos de profetas. Muitos defendem a posição de que nunca se deve questionar as opiniões de profetas, que devem ser obedecidos cegamente e seguidos em silêncio.

A função de um profeta é justamente profetizar, ou oferecer previsões sobre o futuro. Diferentemente do papel de um vidente (que tem visões sobrenaturais sobre o passado, presente e futuro), de um revelador (que revela tais segredos sobrenaturais não acessíveis aos demais), e de um Apóstolo (que testifica de seu conhecimento sobrenatural de Jesus Cristo), o profeta faz declarações afirmativas que são mensuráveis e checáveis naturalmente. Não se pode checar objetiva ou racionalmente as visões sobrenaturais de um vidente, ou as revelações sobrenaturais de um revelador, ou mesmo o privilégio epistêmico sobre Jesus de um Apóstolo, mas uma profecia pode ser checada e confirmada quanto ao seu cumprimento factual. Pode-se, assim, medir e confirmar o quão relevante e obrigatórios devem ser seus pronunciamentos.

três anos atrás, eu publiquei um curto artigo lançando um desafio para determinar quantas profecias foram realmente cumpridas. O desafio reside em determinar, racional e logicamente, uma (ou mais) profecia(s) que podem ser comprovadas como cumpridas, confirmando assim factualmente o dom profético. Além da satisfação em determinar um exemplo concreto do sobrenatural, eu havia oferecido um prêmio em livro (que até hoje não foi conquistado).

IsaiahComo vimos num artigo mais antigo, há profecias que se esquecem rapidamente, em poucos anos. Geralmente estas são as que não se cumpriram, ou que se provaram equivocadas. Por que não nos lembramos destas?

Existe um traço comportamental humano que cientistas chamam de “viés de confirmação“. Usamos desse viés quando nos lembramos das coisas que confirmam nossas opiniões ou crenças ou ideias, e quando nos esquecemos das coisas que desconfirmam ou contradizem nossas opiniões ou crenças ou ideias. Por exemplo, alguém me convence que toda que vez que eu jogo uma partida de futebol usando um boné, eu faço gols, enquanto que todas as vezes que deixo de usar o boné, eu saio de campo sem fazer gols. Poucas pessoas se deixariam levar por uma superstição tão absurdamente irracional, mas o viés existe, é comum, e ocorre com todos os seres humanos.

Um exemplo mais difícil de reconhecer no dia-a-dia: Petistas ignoram tudo de positivo no governo FHC e lembram-se de todos os erros e problemas, enquanto ignoram todos os problemas e erros do governo Lula, lembrando apenas os acertos e os aspectos positivos. Tucanos fazem o mesmo ao inverso. Converse sobre política com 10 pessoas que tenham opiniões formadas, e verá o fenômeno ocorrer 7, ou 8 ou mesmo 10 vezes.

Ele ocorre muito frequentemente em âmbito religioso também. Profecias, usualmente, funcionam assim. Lembra-se dos acertos, ignoram-se os erros. Da mesma maneira funciona o tarô, leitura de mãos, mapas astrais, astrologia, numerologia, homeopatia, etc.

Gostaria, então, de propor novamente o mesmo exercício intelectual. Continuar lendo

Historiografia Como Abordagem Científica: Exemplos da História Mórmon

Durante a VI Conferência Anual da Associação Brasileira de Estudos Mórmons, ocorrida no último sábado, Marcello Jun explorou alguns conceitos básicos utilizando exemplos da história mórmon de como analisar criticamente o trabalho de uma historiadora ou como avaliar a qualidade de uma reconstrução historiográfica. Assista o vídeo dessa palestra aqui:

Continuar lendo

Igreja Mórmon Contradiz-se, Mente Para Silenciar Intelectual

A Igreja SUD excomungou psicólogo cujo projeto público é ajudar membros da Igreja a manter sua fé enquanto sofrem com dúvidas sobre as práticas éticas, morais, e históricas de sua religião.

John Dehlin e esposa conversam com 200 amigos enquanto aguardam sua "corte de amor". (Foto por Rick Egan do The Salt Lake Tribune)

John Dehlin e esposa conversam com 200 amigos enquanto aguardam sua “corte de amor” na Estaca Logan do Norte. (Foto por Rick Egan do The Salt Lake Tribune)

Há pouco mais de uma década, John Dehlin vem mediando comunidades na internet para membros da Igreja sofrendo de crises de fé por dúvidas ou inquietações sobre questões históricas ou éticas. Seu tom conciliador, seus esforços para promover a fé Mórmon e incentivar membros a permanecerem na Igreja, e sua abordagem respeitosa lhe renderam milhares de fãs e a tácita aceitação da liderança da Igreja. Contudo, nos últimos dois anos, a Igreja encontrou-se sob maior e crescente pressão pública por causa da exposição da candidatura presidencial de Mitt Romney, do movimento a favor da ordenação de mulheres ao Sacerdócio, e da rápida deterioração da posição anti-gay da Igreja frente à sociedade e as leis norte-americanas. Dehlin, apoiando publicamente ambas destas últimas, encontrou-se progressivamente em posição contrária à liderança da Igreja, passando a ser ameaçado e coagido por meses, e finalmente sendo excomungado ontem.

Em nota oficial, a Igreja defende-se de críticas públicas contra essa manobra de censura entrando, contudo, repetidas vezes em contradição.

Continuar lendo

John Dehlin excomungado

john dehlinJohn Dehlin, fundador do site Mormon Stories Podcast e ativista LGBT, recebeu hoje sua carta de excomunhão de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. O conselho disciplinar ocorreu no último domingo (08/02) na cidade de Logan, em Utah, quando Dehlin foi acusado de apostasia.

Psicólogo, Dehlin escreveu uma tese de mestrado sobre o tratamento de desordem obsessiva-compulsiva acerca de questões religiosas, e atualmente desenvolve sua pesquisa de doutorado sobre as experiência pessoais de mórmons e ex-mórmons gays, lésbicas e transexuais com terapias para mudança de orientação sexual.

Dehlin afirma sobre suas crenças:

Acredito em muitos ensinamentos morais centrais, não-distintivos no mormonismo (por ex., amor, bondade, perdão, fé, esperança), mas  tenho sérias dúvidas ou não mais acredito em muitos das reivindicações de verdade da igreja SUD (por ex., Deus antropomórfico, “uma igreja com autoridade exclusiva”, que o atual profeta da igreja  SUD recebe comunicações privilegiadas de Deus, que o Livro de Mórmon e o Livro de Abraão são traduções, poligamia, ensinamentos racistas no Livro de Mórmon, que ordenanças são necessárias para salvação, obra vicária pelos mortos).

Continuar lendo