5 comentários sobre “Casamento de Sucesso

  1. Olá David, quero dizer que gostei muito do seu texto. É o tipo de coisa que veríamos facilmente publicado em “A Liahona” – tem, por assim dizer, uma “pegada” mais devocional. Porém, não concordo com algumas afirmações que você fez. Primeiro, quando questionou a validade de estudos acerca da duração média dos processos químicos que desencadeiam e sustentam o amor romântico pelo “fato de muitos destes críticos serem solteiros e/ou carregarem mágoas de relacionamentos arruinados”, afirmando que tal “compromete a confiabilidade e tendência de suas colocações e estudos”. Então, na sua opinião apenas pessoas casadas e emocionalmente realizadas estão aptas a realizar estudos comportamentais ou neurobiológicos sobre amor romântico e casamento?

    Segundo questiono sua afirmação que o aumento dos divórcios se deu pela facilidade em obtê-lo. Acredito que, apesar de não estar totalmente inexato, o aumento nos divórcios se deu, principalmente, pelo fim das pressões sociais em torno dos divorciados – principalmente em relação às mulheres.

    Terceiro, felicidade é algo muito subjetivo e está ligado a um senso de realização pessoal dificilmente mensurável. Afirmar que casados são mais felizes que os solteiros é o mesmo que afirmar que mamão é mais mais gostoso que melância – ou seja, é apenas uma consideração pessoal.

    • Obrigado Leonel. Sua opinião é sempre bem vinda e apreciada.

      Meus textos tem mesmo um tom mais devocional… rsrsrs

      Replicando:
      1) Não. Acho que toda pessoa, quando devidamente preparada, está apta pra estudar, analisar e argumentar, no entanto, quando despida de parcialidade, o que é uma dificuldade que todo autor, historiador, etc… enfrenta… Por exemplo, em meu texto, citei embasamentos que sustentam meu pensamento, ou seja, minha abordagem foi respeitosa mas claramente focada em que todos podem ter um casamento feliz, se estiverem dispostos a pagar o preço! No entanto, também citei que os estudos da oposição são relevantes, pois “deve-se reconhecer, que seja difícil descartar a realidade do grande desafio de se obter/manter um casamento bem sucedido e/ou que existam alguns fatores que podem ser desafiantes para a saúde do relacionamento”.

      2) Sim, acredito que um dos fatores para o aumento de divórcio seja o “caminho facilitado” e o consequente incentivo a já existente tendência de ceder fácil aos problemas no relacionamento, onde antes o divórcio era a última opção de “solução”, hoje é uma das primeiras! No entanto, concordo com você que exista outros fatores, eu citei apenas um, o que você citou também considero um indicador significativo.

      3) Reforçando, de modo geral, casados são mais felizes que solteiros! Existem casados infelizes e solteiros felizes. Meu argumento e consequente embasamento (cujo autores seguem a mesma linha de pensamento), é que os casados tem mais ampla oportunidade de desenvolver o sentimento de felicidade que solteiros, quando eles vivenciam o modelo de casamento que tentei esboçar no artigo.

      abs

  2. Terminei um namoro de quase 7 anos que não era bom pra mim. Minha consciência é tranquila porque sei que fiz a minha parte. Lá pelo 3º ano já não era mais feliz, tentei bastante… Sempre achei que conheceria alguém e que ficaria com essa pessoa pra sempre. Pensei que fosse ele. Queria que tivesse sido assim, mas não sendo feliz simplesmente não dá… Meu ex-namorado era brilhante, pude aprender muitas coisas com ele. Nunca tive nada de brilhantismo, mas tinha muitas outras qualidades que ele poderia e deveria ter aprendido, mas a arrogância não permitia que ele as enxergasse. Quando finalmente enxergou já era tarde, pois eu já tinha perdido toda a admiração que um dia existiu e que não era pouca. Hoje estou verdadeiramente feliz, e ele acredito que sofra, mas já não há o que eu possa fazer. Não tenho mágoas. Sinto nada além de compaixão por ele. Com ele tive a ótima oportunidade de aprender o que não fazer em um próximo relacionamento.

  3. Excelente texto… Parabéns!
    Este mês, (12 de maio, digo), comemoramos (minha esposa e eu) 30 anos de casados.
    Existe um ditado judaico que diz que se o casamento é bom 100 anos são como 100 dias… Se o casamento é ruim 100 dias são como 100 anos… Quando olho para minha esposa ainda sinto a mesma emoção de quando a conheci.
    Abraço e mais uma vez Mazal Tov David.

  4. Texto incrível. Eu também completei 7 anos com a minha esposa. Desde que nos conhecemos nos damos super bem. Muitas pessoas criticavam e diziam, deixa passar um ano, outras deixa passar 3 e outras, no 7º vocês não vão continuar assim. Mas cada dia que passa é melhor. Não me lembro de ter alguma vez que deixamos um desentendimento virar briga. Se levarmos uma vida verdadeiramente cristã, temos uma felicidade inexplicável. David, gosto muito de todos os seus artigos, você é muito claro com o que quer passar. Gostaria de pedir que publicasse com mais frequência.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s