Rascunho de Tradução: A conversão de Sidney Rigdon

Com esse artigo, quero iniciar uma nova série de artigos que visa esboçar traduções de partes de importantes livros e documentos mórmons indisponíveis em português. Como esses livros não existem em português, tenho certeza de que muitos dos nossos leitores vão querer ler o conteúdo. E como penso trabalhar com os mais importantes livros mórmons, as traduções terão interesse geral.

Mas faço isso com uma expectativa dos leitores. Peço que me ajudem a melhorar a qualidade da tradução. Com certeza já sabem que o português não é minha língua natal. Portanto, preciso de ajuda para acertar a linguagem da tradução. Enquanto em geral dá para entender as traduções que faço (ou, melhor, que corrijo da produção do Google), muitas vezes as palavras que escolho não são as certas, ou a ordem das palavras impede o entendimento. Penso que se quem lê essas traduções possa indicar os problemas no comentários aqui, com correções se for possível, no fim teremos algo de grande valor.

A meta final seria uma tradução publicada, disponível para quem quer ler esses livros mórmons importantes. Mas como o tamanho de muitos dos livros é grande, as traduções vão requer muito tempo para completar. Com a ajuda de muitas pessoas acho que seria possível completar algumas traduções e fazer esses valiosos livros disponíveis.

Para começar, escolhi um trecho do livro A história da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, escrito por Joseph Smith e editado por Brigham H. Roberts. Este livro foi publicado em sete volumes começando em 1902 e ainda hoje é raro passar por uma conferência geral sem ver ele citado em pelo menos um discurso. Portanto, é um livro importante, mas grande. Em total, tem mais de 4.000 páginas e mais de 1,7 milhões de palavras. Vai levar um tempo para completar a tradução. Mas como os tradutores que conheço já estão ocupados com outros projetos, acho melhor pedir a ajuda de nossos leitores.

Esse trecho fala do fim do ano 1830. Nele, dois membros da Igreja, Parley P. Pratt e Ziba Peterson, são chamados do Senhor para perseguir uma missão entre os lamanitas, ou seja, os índios americanos. Mas ao chegar à vizinhança de Kirtland, Ohio, econtram o pregador Sidney Rigdon, com quem Pratt pregava enquanto vivia em Ohio antes de unir-se à Igreja.

Se encontra algo na tradução que lhe parece difícil de entender ou soa estranho ou incómodo, por favor indica nos comentários (junto com um trecho que ajuda-nos a descobrir aonde fica).

.

O fim de capítulo XI de volume 1

Em Português:

… Neste momento vários dos élderes mostraram um grande desejo a respeito dos remanescentes da casa de José, os lamanitas, residente no oeste—pois sabiam que os propósitos de Deus foram grandes a respeito desse gente, e tinham esperança de que havia chegado a hora quando as promessas do Todo-Poderoso em relação a eles estavam prestes a serem realizados. E também tinham esperança de que eles iriam receber o Evangelho e desfrutar de suas bênçãos. Seu desejo era tão grande que foi acordado que se perguntasse ao Senhor a respeito da propriedade de enviar alguns dos élderes entre eles. Assim fizemos, e recebemos o seguinte:

[A seção 32 da Doutrina e Convênios, dado a Parley P. Pratt e Ziba Peterson em outubro de 1830]

Imediatamente ao receber essa revelação, os preparativos foram feitos para a viagem dos irmãos designados nele até as fronteiras dos lamanitas e uma cópia da revelação lhes foi dada. Eles despediram-se de seus irmãos e amigos, e começaram sua jornada, pregando pelo caminho e deixando um testemunho selador por trás deles, levantando a sua voz como um trunfo nas diferentes aldeias por onde passavam. Eles continuaram a viagem até que chegaram a Kirtland, Ohio, onde permaneceram algum tempo, pois havia grande número naquele lugar e nos arredores que acreditava em seus testemunhos e deram-se a conhecer e obedecer ao Evangelho. Entre esses se encontrava o Sr. Sidney Rigdon e uma grande parte da igreja sobre a qual ele presidia.

Antes disso, o Élder Parley P. Pratt havia sido um pregador na mesmo igreja que o Sr. Rigdon liderava e residia na cidade de Amherst, condado de Loraine, em Ohio. Ele tinha sido enviado até o estado de Nova York em uma missão e alí se familiarizou com as circunstâncias do surgimento do Livro de Mórmon e foi introduzido a Joseph Smith Júnior e outros membros da Igreja. Sua crença de que havia muitos na igreja, com a qual ele tinha sido anteriormente unida, que eram buscadores honestos da verdade induzia Élder Pratt, durante sua viagem para o oeste, para visitar seus amigos e dar-lhes a conhecer as grandes coisas que os Senhor efetuava.

A primeira casa em que eles visitaram na vizinhança de Kirtland foi a do Sr. Rigdon e após os cumprimentos habituais lhe presentearam com o Livro de Mórmon, afirmando que era uma revelação de Deus. Sendo esta a primeira vez que ele tinha ouvido falar ou visto o Livro de Mórmon, ele sentiu-se muito sorpreendido com a afirmação e respondeu que ele já tinha a Bíblia, a qual ele acreditava ser uma revelação de Deus e com a qual ele pretendia ter algum conhecimento. Mas com relação ao livro que lhe tinham apresentado, ele deve dizer que tinha uma dúvida considerável. Após isso, eles expressaram o desejo de investigar o assunto e discutir o assunto. Mas ele lhes respondeu: “Não jovens senhores, vocês não devem discutir comigo sobre o assunto. Mas vou ler o seu livro e ver as alegações que tem sobre a minha fé, e vou me esforçar para verificar se ela é uma revelação de Deus ou não. “

Depois de alguma conversa mais eles expressaram o desejo de colocar o assunto diante do povo e pediu o privilégio de pregar na capela do Sr. Rigdon, o qual ele consentiu prontamente. A nomeação foi assim publicada, e uma congregação grande e respeitável se ajuntou. Oliver Cowdery e Parley P. Pratt respectivamente dirigiram-se a reunião. Na conclusão, o Sr. Rigdon se levantou e disse à congregação que a informação que receberam naquela noite foi de um caráter extraordinário e certamente exigiu sua mais séria consideração, e como o Apóstolo aconselhou seus irmãos para “examinar tudo” e “reter o bem,” assim ele iria exortar os seus irmãos a fazer o mesmo e fazer uma cuidadosa investigação da questão e não se voltarem contra ele sem estar completamente convencido de que seja uma impostura, para que não deveriam, possivelmente, resistir à verdade .

A poucos quilômetros da casa do Sr. Rigdon em Mentor, na cidade de Kirtland, vivia um número de membros de sua igreja. Eles viviam juntos e tinham tudo em comum—a partir destas circunstâncias surgiu a idéia de que este era o caso com a Igreja de Jesus Cristo. Os Élderes imediatamente foram até este lugar e proclamaram-lhes o Evangelho com considerável sucesso, pois o seu testemunho foi recebido por muitas das pessoas e 17 se apresentaram em obediência ao Evangelho.

Enquanto assim ocupado eles visitavam o Sr. Rigdon ocasionalmente, e o encontrou muito sinceramente na leitura do Livro de Mórmon—orando ao Senhor para receber direção e meditando sobre as coisas que ouviu e leu. E duas semanas depois do momento em que o livro foi colocado em suas mãos ele ficou plenamente convencido da verdade da obra, por meio duma revelação de Jesus Cristo, pela qual foi lhe dado a conhecer de uma forma notável, até que ele pudesse exclamar “Mo não revelou a carne e sangue, mas meu pai que está no céu.” Assim, ele e sua mulher ambos foram batizados na Igreja de Jesus Cristo e, junto com aqueles que haviam sido anteriormente admitido ao batismo, faziam um pequeno ramo da Igreja, nesta seção do Ohio, de mais ou menos 20 membros.

Realizado esta obra, os irmãos com destino às fronteiras dos lamanitas despediram-se carinhosamente dos santos de Kirtland e arredores e, após a adição de um de seus novos convertidos para o seu número—Dr. Frederick G. Williams—eles seguiram o seu caminho cheio de júbilo.

.

.

Em Inglês:

At this time a great desire was manifested by several of the Elders respecting the remnants of the house of Joseph, the Lamanites, residing in the west–knowing that the purposes of God were great respecting that people, and hoping that the time had come when the promises of the Almighty in regard to them were about to be accomplished, and that they would receive the Gospel, and enjoy its blessings. The desire being so great, it was agreed that we should inquire of the Lord respecting the propriety of sending some of the Elders among them, which we accordingly did, and received the following:

[D&C 32 given to Parley P. Pratt October 1830]

Immediately on receiving this revelation, preparations were made for the journey of the brethren therein designated, to the borders of and a copy of the revelation was given them. They bade adieu to their brethren and friends, and commenced their journey, preaching by the way, and leaving a sealing testimony behind them, lifting up their voice like a trump in the different villages through which they passed, They continued their journey until they came to Kirtland, Ohio, where they tarried some time, there being quite a number in that place and vicinity who believed their testimony, and came forward and obeyed the Gospel. Among the number was Mr. Sidney Rigdon, and a large portion of the church over which he presided,

Previous to this, Elder Parley P. Pratt had been a preacher in the same church with Mr. Rigdon, and resided in the town of Amherst, Loraine county, in Ohio, and had been sent into the state of New York on a mission, where he became acquainted with the circumstances of the coming forth of the Book of Mormon, and was introduced to Joseph Smith, Jun., and other members of the Church. The belief that there were many in the church with which he had formerly been united, who were honest seekers after truth, induced Elder Pratt, while on his journey to the west, to call upon his friends, and make known the great things which the Lord had brought to pass.

The first house at which they called in the vicinity of Kirtland, was Mr. Rigdon’s, and after the usual salutations, they presented him with the Book of Mormon, stating that it was a revelation from God. This being the first time he had ever heard of, or seen, the Book of Mormon, he felt very much surprised at the assertion, and replied that he had the Bible which he believed was a revelation from God, and with which he pretended to have some acquaintance; but with respect of the book they had presented him, he must say that he had considerable doubt. Upon this, they expressed a desire to investigate the subject, and argue the matter. But he replied, “No, young gentleman, you must not argue with me on the subject; but I will read your book, and see what claims it has upon my faith, and will endeavor to ascertain whether it be a revelation from God or not.”

After some further conversation they expressed a desire to lay the subject before the people, and requested the privilege of preaching in Mr. Rigdon’s chapel, to which he readily consented. The appointment was accordingly published, and a large and respectable congregation assembled. Oliver Cowdery and Parley P. Pratt severally addressed the meeting. At the conclusion, Mr. Rigdon arose, and stated to the congregation that the information they had that evening received was of an extraordinary character, and certainly demanded their most serious consideration; and as the Apostle advised his brethren to “prove all things, and hold fast that which is good,” so he would exhort his brethren to do likewise, and give the matter a careful investigation, and not turn against it without being fully convinced of its being an imposition, lest they should, possibly, resist the truth.

A few miles from Mr. Rigdon’s home in Mentor, at the town of Kirtland, lived a number of the members of his church. They lived together and had all things common–from which circumstance has risen the idea that this was the case with the Church of Jesus Christ. To that place the Elders immediately repaired, and proclaimed the Gospel unto them, with considerable success; for their testimony was received by many of the people, and seventeen came forward in obedience to the Gospel.

While thus engaged, they visited Mr. Rigdon occasionally, and found him very earnestly reading the Book of Mormon,–praying to the Lord for direction, and meditating on the things he heard and read; and after a fortnight from the time the book was put into his hands, he was fully convinced of the truth of the work, by a revelation from Jesus Christ, which was made known to him in a remarkable manner, so that he could exclaim “Flesh and blood hath not revealed it unto me, but my father which is in heaven.” Accordingly he and his wife were both baptized into the Church of Jesus Christ; and, together with those who had been previously admitted to baptism, made a little branch of the Church, in this section of Ohio, of about twenty members.

This much accomplished, the brethren bound for the borders of the Lamanites, bade an affectionate farewell to the Saints in Kirtland and vicinity; and, after adding one of their new converts to their number–Dr. Frederick G. Williams–they went on their way rejoicing.

.

.

About these ads
Esse post foi publicado em História, Tradução. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Rascunho de Tradução: A conversão de Sidney Rigdon

  1. Willy Pruss disse:

    Boa tarde Kent! Tem como me enviar esta tradução como .doc? Vou fazer umas sugestões de correções aonde creio que podemos melhorar a gramatica e compreensão como um todo. Mas esta excelente. Parabéns pelo seu trabalho.

  2. Luis Eduardo Stadler disse:

    Existe algum site onde da pra baixar a obra completa?

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s