Brasil na História Diária da Igreja: 6 de Outubro de 1853

WilliamFCarterEnquanto Addison Pratt foi o primeiro missionário mórmon para chegar em território em que se fala português (em 1843), outros missionários passaram perto, viajando no Atlântico, perto da costa do Brasil. Estes faziam parte de uma onda missionária durante os 1850s que visava pregar o evangelho através do mundo inteiro. O hemisfério sul se incluía nessa onda, com missionários mórmons viajando para Taiti (Addison Pratt, 1843), Chile (Parley P. Pratt, 1851), Austrália (John Murdock, 1851), África do Sul (Jesse Haven, 1853), Nova Zelandia (Augustus Farnham, 1854), Tailândia (Elam Luddington, 1854), e a Índia (Joseph Richards, 1851).

Com certeza vários destes missionários passaram o Brasil por perto. E é até possível que seus navios pararam num porto brasileiro durante suas viagens. Até agora não tenho certeza se tivessem parados no Brasil, mas a História Diária da Igreja menciona que um missionário mórmon passou por perto, William Furlsbury Carter. Ele mencionou o Brasil em seu diário de viagem:

Quinta-feira, outubro 6, 1853: Dia bonito, bons ventos. Dobramos Cabo de São Roque, América do Sul, na costa brasileira em 16:00. O país foi fundido pelos portugueses. Eles trazem um bom número de escravos da África. Cabo de São Roque fica em Lat. 05:28; Lon. 35:17. Vi duas baleias, vi quatro catamarãs, barcos voadores brasileiros.

[Thursday, October 6, 1853: Fine day, fair winds. We made Cape St. Roque, South America, on the Brazilian coast at 4 P. M. The country is settled by the Portuguese. They bring a good many slaves from Africa. Cape St. Roque is in Lat. 5:28; Lon. 35:17. Saw two whales; saw four catamaraee, Brazilian flying crafts.][1.]

Carter estava na volta da missão quando passou perto do Cabo de São Roque. Chamado para servir na Índia, havia saído de Utah em Outubro de 1852. Viajou até Los Angeles e aí abordou um navio no 29 de Janeiro de 1853, o qual chegou em Calcutá no 26 de Abril do mesmo ano.

Ao chegar na missão, Carter foi mandado para Dinapore, uma distância de mais ou menos 600 quilômetros. Mas lá ele e seu companheiro tiveram pouco sucesso, e Carter também ficou doente. Os dois voltaram para Calcutá onde o presidente da missão, Nathaniel V. Jones, decidiu mandar-lhe de volta a Utah.

Depois de servir em Índia durante menos de 3 meses, Carter saiu com a ajuda do cônsul dos Estados Unidos em Calcutá no 9 de Julho. Logo que a clima ficou mais frio, Carter recuperou sua saúde, e depois de dobrar o Cabo da Boa Esperança seu navio passo perto da costa do Brasil, como ele descreveu acima. Carter chegou no Boston no dia 11 de Novembro, e demorou um pouco em atravessar os Estados Unidos, chegando em Utah em Setembro de 1853, quase dois anos depois de sua saída. No processo, ele tinha circum-navigado o globo.

Notas

1. Carter, William F. Journal of William F. Carter, 6 October 1853.

About these ads
Esse post foi publicado em História e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s