A escola dominical: o casamento e a homossexualidade

Este texto está sendo publicado anonimamente a pedido do autor.

fly happy family on blue skyComo faço todas as manhãs de Domingo, fui à IJCSUD neste dia 08/12/2013. Logo cedo participei da reunião do comitê executivo do Sacerdócio. Logo após, participei do ensaio do Coral da ala. Gosto muito de cantar. Na verdade, posso dizer que sei cantar. Não sou excelente, mas no mínimo posso dizer que sou afinado. Aprendi a cantar na Igreja, na Primária e ao participar do coral da estaca lá pelos meus 17 para 18 anos.

A Reunião com os rapazes foi excelente. O bispo e o presidente dos rapazes buscaram três rapazes que são os “fujões” da organização dos rapazes da ala. Os três são a antítese do rapaz sud. Falamos sobre nos tornarmos amigos dos rapazes “afastados” da ala e de como ajudá-los retornarem a frequentar as reuniões da Igreja. Os rapazes se comprometeram juntamente conosco a irem atrás dos “perdidos”.

Hoje, por incrível que pareça eu não tinha nenhuma entrevista ou qualquer outra responsabilidade administrativa a ser realizada no horário da Escola Dominical. Por isto, pude assistir a aula dos “membros antigos”. No início da aula nossa professora lançou uma pergunta sobre “as coisas” que tem atacado as famílias tanto SUD, como as famílias em geral. Para minha surpresa, uma parte dos alunos que abriram suas bocas para participarem e responderem aos questionamentos de nossa professora passou a atacar o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Sabemos que a doutrina da Igreja ensina enfaticamente no documento escrito pela primeira presidência e o quórum dos 12, que “a família é ordenada por Deus”, sendo que o casamento foi ordenado por Deus para ser perpetuado entre “um homem e uma mulher”.

Fiquei muito espantando com tal fúria de alguns membros em querer mostrar seu descontentamento com o casamento homossexual. Foi tal a celeuma causada, que quando a professora percebeu, 80% do tempo de sua aula havia passado. O engraçado é que eu iria opinar, dizendo que atualmente vivemos um paradoxo, pois ao mesmo tempo em que há uma facilitação via legal para o divórcio, há pesquisas que apontam que uma grande porcentagem das pessoas tem se casado, pois ainda acreditam no casamento. É um dado sociológico.

Pois bem. O ponto no qual quero chegar é que, segundo minha visão, grande parte dos membros da Igreja ainda não está preparada para lidar com irmãos e irmãs que lutam internamente com seus sentimentos e afeições por pessoas do mesmo sexo. Percebi que os membros da Igreja, claro sem generalizar, ainda acreditam que ser homossexual é “pura sacanagem” e que é possível deixar de “ser homossexual” como se abandona o vício do cigarro ou do jogo, por exemplo. Menos mal que houve dois irmãos que foram menos “ortodoxos” em seus comentários e que acabaram minimizando um pouco o discurso colérico contra os homossexuais e a união homossexual.

 

  • Em sua opinião, porque muitos membros ainda possuem uma visão tão “pequena” e “estreita” em relação à homossexualidade e as conquistas dos homossexuais mundo a fora?
  • Se temos que respeitar as leis de nosso país, conforme as escrituras (vide as regras de fé, escritas por Joseph Smith), estariam os membros da Igreja, que se colocam ferozmente contra a união homoafetiva, indo na direção contrária da própria história e doutrina da IJCSUD?
  • Se temos que amar, como Jesus Cristo nos ama, porque não aceitar os membros homossexuais com os seus “problemas” e “espinhos na carne” como membros efetivos de nossas alas e estacas? Segundo Dieter F. Uchtdorf, na IJCSUD há “espaço” para todas as pessoas, todos são bem vindos. Na realidade, ele convidou em seu discurso na Conferência Geral da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, em outubro de 2013, todos os membros que abandonaram a Igreja a retornarem à atividade.
  • Tais problemas seriam resolvidos apenas com mudanças doutrinárias? Como poderia ser modificada a visão dos membros da Igreja em relação a este assunto tão polêmico, mas também tão urgente, visto que a Igreja tem perdido milhares de membros homossexuais que não suportam a pressão interior e exterior, e que assim acabam abandonando a igreja?
About these ads

Sobre Vozes Mórmons

A Assoc. Bras. de Estudos Mórmons têm como missão: promover, incentivar, estimular, facilitar e divulgar a produção intelectual e literária de estudos acadêmicos e expressões artísticas sobre Mormonismo no Brasil. Ela cumpre sua missão ao impulsionar os estudos Mórmons no Brasil, incentivando a produção de conhecimento pela qual a tradição Mórmon possa ser lida, debatida, interpretada, e analisada de maneira aberta, honesta, e diversificada, além de criar um espaço para compartilhar essa produção e esse diálogo dentro de uma comunidade de aprendizado e produção intelectual entre Mórmons brasileiros e estrangeiros, bem como entre Mórmons e não-Mórmons, e entre acadêmicos brasileiros.
Esse post foi publicado em Cultura Mórmon, Estudos Mórmons, Filosofando, Mórmon, Mormon, Política, SUD, Vida Mórmon, Vozes Mórmons e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

50 respostas para A escola dominical: o casamento e a homossexualidade

  1. 1. O povo perece por falta de conhecimento. Se os Suds estudassem mais as escrituras aprenderiam que a posição que devemos assumir no julgamento da mulher adúltera, é o lado de Cristo e não dos Sacerdotes sedentos de sangue.

    2. O país cria leis que protegem as minorias e forçam a população a ter respeito e ser tolerante, até aí tudo bem, mas o Estado não pode intervir na Igreja, assim como a Igreja não pode intervir no Estado.

    3. Todos são bem vindos na Igreja do Salvador, em especial a centésima ovelha, a dracma perdida e o filho pródigo, porém a recepção destas pessoas ainda não está á altura esperada pelo Dono da Casa.

    4. Não, Deus revoga suas leis, mas não as aniquila. Acredito que ainda falta muita abordagem em nossas alas e estacas, em especial pelos ministros locais (As autoridades gerais tem feito um papel excelente até agora…), mais uma vez repito: o povo perece por falta de conhecimento.

  2. Joni Pinto disse:

    Ótimo texto, parabéns! Também percebo esta fúria, mas principalmente nos membros mais antigos. Este discurso de ódio contra alguns segmentos sociais (não só aos homossexuais – não sei se infelizmente seria uma expressão adequada :( ) me desanima muitas vezes a ir na igreja e não me deixa a vontade para criar reais vínculos de amizade com outros membros. Por vezes sinto que se eu expressar uma vírgula diferente serei condenado de estar indo contra a doutrina e indigno de ir ao templo.
    Sou muito grato de ter conhecido um membro neste último final de semana, ao acaso, com quem possa conversar abertamente. Espero, algum dia, conhecer outros. Faz muito tempo que eu não contribuo com algo aqui e fico feliz em ver que há textos bem escritos e temas importantes sendo discutidos. Toda a equipe do Vozes Mórmons está de parabéns!

  3. pedro bueno disse:

    Temos que aprender a conhecer a causa do problema, ser homossexual, não condena a pessoa a ir para o inferno, porque é uma situação que contraria tudo aquilo que aprendemos desde nossa infãncia, as coisas que são certas e as que são erradas, crescemos com preconceitos e discriminação sobre tantas coisas, mas aprendemos de uma forma errada. Ser homossexual, se pode viver normalmente, desde que voçê não se envolva em relacionamentos homoafetivos, tendo a disposição de lutar para manter-se digno das bençãos do Pai Celestial, essas questões envolvendo tais desvio de comportamento, ainda ninguém pode explicar a causa desse comportamento ou atração pelo mesmo sexo, nem a IJSUD, tem uma posição esclarecedoras, mas deixa claro que essas pessoas são amadas e que tem o direito de viver mesmo carregando um problema que elas não pediram para terem. Temos que ama-las e não discrimina-las, ajudemo-nas sendo verdadeiros irmãos em Cristo, dessa forma seremos um apoio para que elas possam carregar suas cruzes como carregamos a nossa. O Senhor nos julgará pelos desejos de nossos corações, os homens nos olham externamente, mas Deus vê o que há em nossos corações.O amor de Cristo está acima dos nossos preconceitos e imperfeições, que possamos amar as pessoas como Cristo nos amou.

    • Leandro disse:

      ” Ser homossexual, se pode viver normalmente, desde que voçê não se envolva em relacionamentos homoafetivos, tendo a disposição de lutar para manter-se digno das bençãos do Pai Celestial,”
      Queria saber como é para um homossexual “viver normalmente” sem se relacionar com o gênero que o agrada. Fico imaginando o contrário, eu, heterossexual, tendo que me reprimir, porque Deus(lembrem-se, eu disse ao contrário) ordena que o correto é ser homossexual. Viveria eu “normalmente”?

      • Fabio disse:

        Na verdade as pessoas podem viver como elas quiserem, A igreja ensina o evangelho de Jesus Cristo que nada mais e do que a lei do Reino Celestial, para habitar no Reino Celestial e viver a gloria do mesmo as pessoas devem seguir Jesus Cristo, para aqueles que nao querem seguir Cristo e aprender a lei do Celeste podem viver no reino terrestrial ou telestial, ha muitas opcoes. Quanto ao fato de se reprimir, vale se lembrar que a vida mortal foi feita para fazermos escolhas e algumas delas nao sao tao simples ou facil, nao sao somente os gays que tem que lidar com sentimentos estranhos, todos nos temos que lidar com muitas fraquezas, alguns fumam ou bebem ou sao desonestos ou aqueles que sao heteros mas tem problemas com vicio sexual entre outras fraquezas, enfim todos temos que reprimir alguma tendencia maligna em nos, faz parte da vida mas nao podemos esperar ou tentar mudar as leis de Deus para acomodar nossas fraquezas.

      • Leandro disse:

        Se você coloca o homossexualismo como sentimento estranho ou fraqueza, sua explicação é válida. Mas fico pensando como é para um homossexual(fator genético, nasceu assim) “viver normalmente” sem se relacionar com o gênero que o agrada. Fico imaginando o contrário, eu, heterossexual, tendo que me reprimir, porque Deus(lembrem-se, eu disse ao contrário) ordena que o correto é ser homossexual. Viveria eu “normalmente”?

      • Fabio disse:

        Todas nossas fraquezas tem natureza genetica, pois o Senhor disse que os homens se tornaram caidos e carnais e permanecerao assim para sempre a menos que ceda a influencia do Espirito. Devemos primeiramente enterdermos nossa natureza mortal, acredito tambem que muitas fraquezas e talentos trouxemos da nossa vida pre mortal. Felizmente o Pai Celestial preparou um tempo no mundo espiritual para aprendermos mais verdade profundas alem de ele preparar mais mil anos antes do julgamento final, creio que ate la todos terao tempo e conhecimento suficiente para escolher seu destino eterno, por enquanto temos que ter amor e caridade para com todos gays e nao gays, todos estamos no mesmo barco. Obrigado pelo comentario.

      • Leandro disse:

        Entendo seu ponto de vista, eu só não coloco a homossexualidade no mesmo “saco” de “fraquezas genéticas” como traição,murmúrios, avareza entre outras coisas(Romanos 1).
        Pra mim, os exemplos acima são “fraquezas” de caráter e a homossexualidade não está nesse rol. Mas isso é opinião pessoal. Bom final de semana!

  4. Luis Eduardo Stadler disse:

    Na minha humilde opiniao, existe hoje em dia, uma incompatibilidade em ser membro da Igreja e ser homosexual. Oficialmente a diretriz diz que se pode ser homosexual e ser um membro fiel, desde que nao se tenha vida sexual ativa.
    Bom isso, me parece nada compativel, como assim? Entao os homossexuais tem que ser celibatarios?
    Alem disso, familias homosexuais nao tem oportunidade de procriacao, isto e, ter decendencia. Isto iria contra a cerne da doutrina familiar. Alguns dirao! Mas pode-se adotar! Concordo, porem pra se adotar uma crianca tem que haver uma desustruturacao de outra familia, ou mesmo falecimento dos pais, que ao meu ver nao desestrutura a familia, ja que acreditamos

    • Luis Eduardo Stadler disse:

      Continuando……
      em familias eternas. Agora tambem acredito que legalmente esses casamentos serao aceitos em varias partes do mundo. Se assim acontecer a Igreja estara com um grande dilema,porque nao podera desobedecer as leis licais, alem disso o que fara com casais legalmente casados e homosexuais?
      Realmente sera um grande dilema ao Profeta. Talvez tenhamos revelacoes modernas? Nao sei! Mas nao havera mais tempo para empurar com a barriga e nem tomar posicoes politicamente corretas…

      • Leandro disse:

        Pois é, Luis. As Leis laicas não falam da liberação do casamento CIVIL homoafetivo? Não tem a ver com o casamento religioso, né? O Estado não quer obrigar as religiões a aceitarem esse tipo de casamento. Cada Religião tem o direito garantido pelo Estado de praticar suas liturgias de acordo com seus dogmas, AGORA… Se as religiões irão “receber revelações divinas” para mudar suas Leis imutáveis para não perder fiéis, aí é com elas e cabe ao rebanho analisar sabiamente onde estão depositando sua fé e dízimos!

  5. Não sou radical,ortodoxa ou qualquer coisa nesse sentido,mas tenho que me manifestar!
    As escrituras são claras quanto ao homossexualismo,Sodoma e Gomorra foram DESTRUIDAS porque eram tomadas por hormonossexuais!Deus é o mesmo de ontem,ele não muda suas leis e por isso tudo continua igual.Imagino quão dificil deva ser para um homossexual viver uma vida “normal” sem poder se relacionar como gostaria.Mas parem para pensar,esse é só mais um problema ou dificuldade que enfrentamos na nossa caminhada da vida!Eu tenho minhas dificuldades,vou passar minha vida inteira tendo que aprender a ser diferente ,é assim com todo muundo quando resolve seguir a Cristo.
    O Profeta Joseph Smith uma vez falou o seguinte “uma religião que não exige o sacrifício de todas as coisas jamais terá poder suficiente para produzir a fé necessária à vida e à salvação” [Lectures on Faith (Sermões sobre a Fé), 1985, p. 69].É esse o ponto,sacrificio! Cada um tem o seu!
    E quanto as leis dos homens sabemos que não há homem nesse mundo que pode tornar verdade aquilo que Deus decretou como inverdade!Não é verdade que homossexuais podem ser uma familia! Não é verdade que é normal! Não é verdade que eles podem receber todas as bençãos do Evangelho!
    Concordo que existe um certo extremismo por parte de alguns,mas não caiamos na armadilha do inimigo! Ele nos quer tão miseraveis quanto ele é…

    • Jader Sphair disse:

      “Deus é o mesmo de ontem,ele não muda suas leis e por isso tudo continua igual”.
      Tudo continua igual? O que você diria sobre as leis “imutáveis”, “divinas”, qualquer palavra que seja, que já foram instauradas na Igreja e atualmente não estão mais em vigor, como por exemplo a proibição de negros receberem o sacerdócio e participarem de algumas ordenanças?

      Minha cara, a palavra “família” tem uma multiplicidade enorme de significados, cada um atribuindo o que bem entende. Eu por exemplo considero “família” um grupo de pessoas que se consideram assim. Tenho amigos que são da minha família, mesmo não tendo o mesmo o sangue que eu, assim como existem pessoas do meu sangue que não são tão “família” quanto esses meus amigos. Existem pessoas que dividem apartamento e se consideram família. Existem mulheres e homens que vivem com pessoas do mesmo sexo, adotam crianças e, sim, se sentem uma família. Quem sou eu pra julgar ou diminuir o significado disso? O sentimento dessas pessoas é real e genuíno, e não há livro ou doutrina que possa banir isso. Se terceiros não consideram um casal homossexual uma “família” baseado em doutrina de igreja X ou livro Y, problema dos terceiros! A família homossexual se considera família e é isso que importa.

      • Leandro disse:

        Comentário de muita sensibilidade, Jader. Parabéns! A questão toda, talvez seja o conceito de família. Qual ou quais os pré-requisitos para algo ser considerado família?
        1- Família é apenas uma ligação sanguínea? Então, filhos adotados não são da família? Ou a pessoa que é adotada, seus pais não são sua família? Se um Pai ou Mãe tem um filho de um(a) amante, esse filho é da família? Se é apenas por sangue, minha esposa não é minha família?
        2- Família é apenas uma questão numérica? Para se ter uma família, é necessário um homem, uma mulher e pelo menos 1 filho(a)? Então, se um casal não tem filho(por qualquer motivo), ele não é uma família? Se em um grupo de um esposo, uma esposa e um filho, um deles morre ou se separa, deixou de ser uma família? Se o pré-requisito pra ser família é ter um marido, uma esposa e 1 filho(a) PELO MENOS, então, um lar com um marido e várias esposas e 1 filho(a) ou uma esposa e vários maridos e 1 filho(a) é considerado família? Se é apenas uma questão numérica, para se ter uma família, é necessário um homem, uma mulher e pelo menos 1 filho(a), então se um homem fecunda sua própria Mãe ou Irmã e tem 1 filho com ela, é uma família?
        3- Família se dá APENAS pelo casamento EM SI? Então, como os filhos, os avós ou os irmãos não são casados com um casal por exemplo, eles não são da família? Se casam com uma boneca artificial, eles são uma família (Já houve casamento assim!)?
        4- Família é uma questão apenas sentimental? Então, Se uma pessoa sente que seus amigos, seu bichinho de estimação, um objeto, uma pessoa do mesmo sexo, uma pessoa de religião diferente ou sem religião, ou até mesmo a humanidade é sua família, ela está certa?
        5- Se família é aquilo que as pessoas acreditam que Deus disse como é. Então, Se uma pessoa interpreta diferente essas palavras sagradas(e isso acontece muito!), qual conceito procede(partindo do ponto que ambas são cristãs e acreditam que o Espírito Santo as confirmou)? Se a pessoa adora um Deus diferente do Cristão, cujo Espirito Santo inexiste ou é indiferente, e esse Deus dá um conceito diverso de família(supondo que a mesma certeza que você tem sobre seu Deus, ela também possui sobre O dela), qual estaria certa? Se uma pessoa é ateia, e família é aquilo que as pessoas acreditam que Deus disse como é, então ela nunca poderá formar uma família?
        6 – Poderia-se analisar pelos mais diversos prismas, mas ficarei por aqui. Perguntando por último: Se família é um pouquinho de tudo que foi dito acima(incluindo ainda o que não coloquei), então tem como “censurar” algo ou é uma questão de cada um? Se família tem que se enquadrar em apenas UM dos casos acima, alguém de “sua família” não ficaria de fora, e você (leitor) não deveria tratá-la como se não o fosse? Você(leitor) está fazendo isso? Se família pra você(leitor) é apenas uma parte do item 1, todo item 2, só o finalzinho do item 3, nada do item 4, o inicio do item 5,…(exemplo apenas)… E para outra pessoa, famíla é todo o item 1,o final do item 2, nada do item 3, o inicio do item 4, uma parte do item 5… (exemplo apenas)… então, família seria algo conceitual? E se conceitual, é um conceito pessoal seu(leitor)? Da maioria de sua sociedade? De seu período temporal? Cultural de seu País? E se for um desses, aqueles que divergem estão errados? Por quê? Quem ou o quê determina(lembre-se dos itens acima)?

      • Jader Sphair disse:

        Excelente, Leandro! Eu fui bem sucinto ali, mas você explorou tudo que já se passou pela minha cabeça nas vezes em que refleti sobre o assunto. Abordou muito bem.

      • pcmarcelo disse:

        Parabéns, abordagem muito bem feita! Os fundamentalistas ficam de cabelo em pé com isso!

    • Jacob F. de Melo disse:

      Concordo com você Carla. Parece triste e desleal e até mesmo injusto quanto a vida dos homossexuais na Igreja. Há uma lei, a lei do Evangelho que vai diretamente contra essa posição do mundo e alguns membros da Igreja que não entendem esse ponto. A Igreja nãovao execrar essa pessoa com esse problema, vai ajudá-la se ela se permitir a isso e ela vai ter “mudar” a mente e o coração. A visão “furiosa” “preconceiuosa” de alguns membros não a visão geral da liderança da Igreja. Concordamos com o problema mas não a ceitamos como se fosse parte da natureza humana e isso é normal, pois não é, nunca foi e jamais será. Sem preconceitos!.

    • naturadeorum disse:

      Carla, imagino que você não saiba disso, mas a razão dada pelos intérpretes judeus da Bíblia Hebraica (“Velho Testamento”) é de que Sodoma e Gomorra não teria sido destruída pelo homossexualismo de seus habitantes, mas por sua falta de caridade, de compaixão! Se você, ou alguém mais quiser, posso pôr aqui as referências. Quanto à frase de Joseph Smith citada por você, vale a pena lembrar que a Igreja SUD cedeu, sim, várias vezes em sua história, para não ter que fazer esse sacrifício: a proibição oficial dos casamentos plurais (polígamos e poliândricos) e a revocação dos impedimentos para que afrodescendentes pudessem receber o sacerdócio são dois desses exemplos. Gostaria também de lembrar que ao menos uma Autoridade Geral da Igreja SUD foi homossexual praticante: o Patriarca Joseph Fielding Smith (que exerceu o cargo entre 1942 e 1946, tendo renunciado nesse ano, após seu relacionamento ter sido descoberto). Para você, homossexualidade não é “natural”, não está na SUA natureza como ser humano, como também não está na minha. Também pensei, há muito tempo atrás, que isso fosse uma moda, um vício, e assim por diante. Com o passar do tempo, entendi que as coisas não são bem desse jeito, e que a imensa maioria dos homossexuais (e lésbicas) já nasceram do jeito que são.

  6. Marcus Vinícius Melo Duarte disse:

    Outro dia participei de uma aula de membros novos onde um membro já com algum tempo e que participava da aula até eu ser chamado LMA (pois como eu tinha acabado de chegar na ala não sabia como ela funcionava) o membro a qual me refiro fez uma pergunta durante a aula de membros novos que deixou a missionária que tava dando a aula sem chão o pior, foi que ela ainda tentou explicar o inexplicável, a pergunta foi se nascem homossexual ou se tornam,depois dessa inusitada pergunta de um membro antigo dentro de uma sala com membros novos pedi ao bispo e ao presidente da escola dominical que pedisse aos membros que gostam de estar na classe que assistam as aulas em suas classes, esse foi uma solução de momento, mas as perguntas são de como podemos nos preparar para que todas as pessoas possam se sentir entre santos mesmo estando lutando com sentimentos que nem eles nem nós sabemos explicar a sua natureza, eu fui missionário do tempo em que tínhamos que reconhecer nas pessoas o porque ela piscou o olho direito ( sinais não verbais) assim podíamos reconhecer melhor seus sentimentos, então acho que falta ensino sobre o assunto homossexualidade para alguns membros que ainda acham que é pura sem-vergonhice, o que eu fiz, na reunião do conselho da ala cobrei do presidente da escola dominical cursos, que levem aos membros um melhor conhecimento da doutrina e de como falar e lógico o que não devemos comentar em aula pra que não ofenda alguém e não acabemos por tentar trazer pessoas para igreja que não estamos preparados para cuidar.

  7. Raquel Blind disse:

    A falta de leitura e compreensão correta das escrituras é minha resposta …. falta de interesse em não só ler as regras de fé é entender em que realmente acreditamos e o que estamos fazendo alí sentados outro sentido e resposta a tudo isso ler o livro Princípios do Evangelho …. se o não fizer será um corpo sentado ocupando um lugar …. São princípios básicos sendo esquecido estas pessoas tem que ouvir as palestras dos missionários novamente e ponderar até mesmo decidir de que lado está ….
    Brigada

  8. Carlos Augusto disse:

    Os membros da igreja carecem de qualquer preparo em relação a essa questão.Aja visto que na ala que frequento, dois membros foram sumariamente excomungados pelo fato de serem homossexuais e viverem de acordo com os sentimentos de atração que tem dentro de si.Bem, é lógico que a igreja tem até mesmo o ” direito ” de excomungar seus membros.O detalhe é que esses dois membros já estavam afastados da igreja,sem nem mesmo pisar na capela há VÁRIOS anos…Bem, desculpem-me a sinceridade, mas minha ala e estaca (como qualquer outra da igreja) tem gente ativa que está ali tomando sacramento e até adúltero é, entre outros pecados não menos graves.Mas a liderança tinha que dar um exemplo e ” escolheu dois afastados” gays para isso, não quis mexer com quem estava ativo…A liderança disse que eles foram denunciados…Isso quase chega a ser engraçado, não fosse um assunto tão sério.Então como achar que os membros podem ter bom senso num assunto tão delicado?

  9. Dan Pinto disse:

    Existe uma confusão, explorada pela mídia, nos conceitos de homosexualismo, transexualismo e família.
    Homosexualismo é atividade sexual. Ninguém é homosexual, mas sim as pessoas optam por ter relações homosexuais.
    Transexualismo é doença. Conforme OMS e o Conselho Federal de Medicina. CID 10 F-64. A pessoa sente que o seu corpo físico não corresponde ao seu sexo psíquico. Conforme resolução 1955 do CFM, possível cirurgia de mudança de sexo se no caso não se vislumbrar cura para a doença.
    Família é relação de afeto. Família pode ser entre ascendente e descendente, entre casais ou quaisquer outras pessoas que queiram constituir família. A igreja, de forma diversa, diz que há um modelo eterno de família, constituída por homem e mulher.
    Acho que existe uma confusão proposital entre os conceitos. Ao mesmo tempo que o mundo diz que o homosexualismo é opção, também diz que é determinado por razões biológicas.
    Como cristãos, não devemos agir como os fariseus, apontando que nós somos sãos e que os outros são os doentes. Além disso, apesar de agora a ciência indicar o transsexualismo como doença, o que é ou não patológico muda com a ideologia e com o avanço científico.

    • Dan Pinto disse:

      Não esperava tanta parcialidade. Só quis publicar o que a ciência pensa sobre o transexualismo; contudo, o CFM e a OMS não estão de acordo com a posição ideológica dos moderadores deste saite

  10. pcmarcelo disse:

    Na minha opinião, Infelizmente a igreja mórmon, anda a passos de tartaruga como sempre…e tomará alguma decisão quando houver muita pressão externa…Bem, na minha humilde opinião, ao ler alguns comentários desprovidos de qualquer conhecimento teológico acima, falando de Sodoma e Gomora, ensejando um total descredito a bíblia e ao cristianismo em geral por se apegar a partes únicas de seu interesse para propagar o ódio em relação a grupos minoritários , além de claro e evidente erro de tradução, já solucionado por diversos estudos dos originais existentes do pentateuco, tanto essa parte de sodoma e gomora como outros que tratam do tema em epígrafe etc…fatos já solucionados teologicamente sobre homossexualidade não homossexualismo( coisa de gente sem instrução) pois o sufixo ISMO JÁ CAIU FAZ MUITAS DÉCADAS, mas que por motivos escusos, o discurso mal construído e conflitante ainda persiste nas seitas em geral, além de todo conhecimento cientifico, genético que hoje existe a disposição em vários órgãos respeitados de pesquisa cientifico sobre o tema, para estudo.
    Para não me alongar, apenas imagino que a igreja mórmon, deve ter muitos Doutores, PHDs, e Pós PHDs, então ignorância não é, sim má fé de alguns ao colocarem a sexualidade de uma pessoa comparada a um vício, um hobby, uma escolha a ser feita…SEXUALIDADE HUMANA, É MUITO MAIS DO QUE UMA ESCOLHA.. faz parte de um dos principais pilares da vida, não há comparação como a igreja ou incautos da igreja sugerem, dizendo que se pode evitar ou se pode abster-se, como se diz, pimenta no dos outros é refresco…como li em um comentário anterior, referenciando ao caso de Cristo e a adulterá…não existe nada de semelhança, nada…além do exemplo dele em perdoar, acolher…mas uma coisa é roubar, matar, adulterar, são escolhas erradas da vida…sexualidade não existe nada , absolutamente nada haver com isso e não guarda qualquer correlação….a igreja mórmon deveria fazer como a igreja mórmon reorganizada, ouvir os GAYS, ouvi-los irá trazer novos horizontes, pois só quem é gay sabe o que é ser gay, ter atração pelo mesmo sexo, como e quando isso surge na pessoa, héteros não sabem e não tem a mínima condição de julga-los, apenas como momento análogo podem imaginar como é, assemelhando como se da sua atração pelo sexo oposto. Se a seita(partido) mórmon, não consegue interpretar de forma teleológica, retificando os vários erros interpretativos do passado, quando não existia os mecanismos tecnológicos existentes hoje para tradução de escritos, deveria no mínimo não se meter no direito das pessoas viverem em paz, com a proteção do Estado.

    • Fabio disse:

      Concordo em parte com a sua resposta, acredito que ser gay nao e realmente uma escolha como muitos acreditam e sim uma condicao genetica que se determina no nascimento e nos primeiros anos de vida. Acredito que os gays podem mudar? sim mas nao acredito que nessa vida mortal isso seja totalmente possivel devido ao fator cultural que e tao forte quanto ao genetico, resta um unico meio para sobrepujar essa “fraqueza” o fator espiritual, nao creio que na vida pre mortal havia gays, talvez havia tendencias muito do que somos hoje deve ter sido formado muito antes de virmos a terra, pois nossa vida anterior como espirito foi muito mais longa do que essa vida mortal.

      • Leandro disse:

        Então ser homossexual ou heterossexual é uma condição genética? Então, porque você não tenta um relacionamento homo pra ver o que um gay sente ao tentar um relacionamento hetero? E se você não pretende mudar (e pode?) sua genética hetero, por que um homo deveria tentar? Deus diz pra ser hetero, mas manda o cara aqui pra Terra com genes homos? Inteligentíssimo esse Deus ou essa interpretação… SQN. Se você acredita que um gay pode mudar, então, um hetero também pode, certo? Fator cultural influi diretamente na genética?

      • Fabio disse:

        Esta evidente que tres fatores contribuem para nossa formacao sexual, primeiro o fator espiritual (quem eramos na pre existencia) segundo o fator genetico ( isso ja foi comprovado cientificamente que no nascimento os cromosomes afetam a orientacao sexual do ser humano) por exemplo uma mulher com Y cromosome desenvolve a sindrome de Turner e se sobreviver tera dificuldade em crescer e tera deformidades na pele; mulheres com 3 cromosomes X se tornam super femininas e delicadas, homens com 2 cromosomes X desenvolvem a sindrome de Klinefelter e sao mais afeminados, homens com cromosomes X YY sao super masculinos e produzem quantidades maiores de testosterones hormonio masculino, enfim tudo isso sao consequencias da mortalidade assim como pessoas que nascem com deformidades fisicas e psicologicas. O terceiro fator e o cultural, isso tem haver com a cultura local, familiar,midia etc.. por exemplo uma crianca que nasce com a sindrome de klinefelter e nao produz hormonio masculino suficiente certamente sera mais afeminado geneticamente e se nascer em uma cultura machista ela sera rotulada como gay ja nos primeiros anos de escola isso levara a uma possivel auto identificacao como gay e sem ajuda psicologica e espiritual essa pessoa se torna gay, o fator cultural inclui tambem abusos e negligencia de criancas por parte dos adultos responsaveis. Os fatores geneticos e culturais so podem serem corrigidos atraves do fator espiritual e isso somente acontecera em sua plenitude quando os seres humanos forem restaurados ao seu estado espiritual novamente, enquanto estivermos na mortalidade teremos que lidar com as fraquezas da carne e limitacoes que temos nessa vida. Nosso Pai Celestial como gostamos de chamar lo entende perfeitamente essa condicao que estamos, no livro de Mormon ele demonstra um amor incondicional e uma paciencia impressionante com seus filhos, mesmo quando estavam se matando ele ainda estendeu sua mao para resgata los porem eles rejeitaram, O Rei Lamoni havia cometido muita iniquidade e havia mandado executar muitos de seus servos mas quando se arrependeu foi perdoado e se tornou um grande lider facilitando a pregacao do evangelho ao seu povo. Devemos julgar menos e acreditar mais no amor de Deus. Ele nao criou seus filhos defeituosos e com todos tipos de fraquezas isso ocorre como consequencia da queda, quanto a sua pergunta a respeito do hetero poder mudar, certamente assim como uma pessoa pode mudar tanto para o bem como para o mal mas quanto a orientacao sexual e mais provavel que aquele que tem mais cromosomes masculinos e produzem mais quantitades de testosterone nao venha a se tornar gay a menos que tenha havido algum tipo de abuso (fator cultural) ainda na infancia mas para essa pessoa tambem seria mais facil abandonar a homosexualidade do que para aqueles que tem mais cromosomes feminino. Espero que isso tenha o ajudado a entender melhor o que eu quis comentar a respeito do assunto.

      • Leandro disse:

        Deixo o Dr. Drauzio falar por mim. http://drauziovarella.com.br/sexualidade/causas-da-homossexualidade/

        A Síndrome de Klinefelter ocorre estatisticamente em menos de 0,2% dos recém-nascidos(http://www.tuasaude.com/sindrome-de-klinefelter/) , logo, tomá-la como exemplo e depois dizer:
        “O terceiro fator e o cultural, isso tem haver com a cultura local, familiar,midia etc.. por exemplo uma crianca que nasce com a sindrome de klinefelter e nao produz hormonio masculino suficiente certamente sera mais afeminado geneticamente e se nascer em uma cultura machista ela sera rotulada como gay ja nos primeiros anos de escola isso levara a uma possivel auto identificacao como gay…” [Você pode me mostrar algum dado que corrobore isso ou é achismo? Mas partindo de seu ponto de vista, vamos pelo contrário, uma pessoa nasce sem a sindrome de Klinefelter e é educada em uma família e comunidade hetero, ela será hetero? Pois tem todos os genes "perfeitinhos". Ou pode ser homo? Não confundamos a pessoa achar que é gay(ou hetero) com a pessoa ser gay(ou hetero), totalmente diferente! Uma pessoa confusa não é gay(ou hetero)! Ela pode ter atos homossexuais (ou heterossexuais) por confusão, mas não ser gay (ou hetero) e depois se conscientizar de sua heterossexualidade ou homossexualidade]

        “e sem ajuda psicologica e espiritual essa pessoa se torna gay, o fator cultural inclui tambem abusos e negligencia de criancas por parte dos adultos responsaveis”
        Quanto aos abusos na infância:Um estudo com 13000 adultos na Nova Zelândia (com idade de 16 anos ou mais) investigou a orientação sexual como função do histórico da infância.(30) O estudo descobriu uma prevalência três vezes maior de abuso infantil entre aqueles que subsequentemente se engajaram em uma atividade homossexual. No entanto, o abuso infantil não era um fator importante para a homossexualidade, uma vez que somente 15% dos homossexuais experimentaram algum tipo de abuso na infância (comparado com 5% entre os heterossexuais).(30) Então, aparentemente, desta população apenas uma pequena porcentagem de homossexualidade (~10%) poderia ser explicada por experiências abusivas na infância. (http://logosapologetica.com/genetica-e-homossexualidade-as-pessoas-nascem-homossexuais/#ixzz2ocqTgk33) Ou seja, não se pode tomar isso como dado absoluto.
        Outro informação interessante: http://br.guiainfantil.com/pedofia-e-abuso-sexual/365-as-consequencias-do-abuso-sexual-infantil.html. Veja o site e os comentários nele(muitas foram abusadas e hoje são casadas, com filhos, mas levam uma perturbação psicológica). Novamente bato na tecla das pessoas ficarem com problemas de identificação sexual de várias espécies e não VIRAM homossexuais.

        Quanto a ajuda espiritual, não entrarei nesse ponto, vai da fé de cada um e problemas genéticos são resolvidos pela ciência na minha opinião.

      • Fabio disse:

        Obrigado pelo comentario, mas me parece que o Sr. acredita ser gay ou hetero uma questao de escolha o que eu discordo fundamentalmente, os tres fatores que citei sao uma realidade comprovada proporcionamente ou nao ela nao deixa de ser fato, criancas que sao abusadas tem uma tendencia maior a ter problemas sexual homosexual ou heterosexual. O fator genetico ninguem pode negar embora o seu modo de pensar minimize esse fato, sua logica no exemplo citado de uma crianca nascer com os genios perfeitos e em uma familia e comunidade hetero ser gay ou hetero, nao temos como saber se realmente os genios sao perfeitos e se a comunidade hetera seja realmente perfeita, alias nao ha nada de perfeito nessa vida, mesmo as comunidades mais conservadoras estao contaminadas pela midia e outros fatores culturais,( a Babilonia prevalece em nossos dias) Ainda ha muito que aprendermos sobre o assunto, eu pessoalmente acredito no casamento entre homem e mulher e na familia instituida pelo Senhor mas por estarmos na mortalidade devemos ser caridosos, Ja quanto a agenda gay que esta sendo pregada dia e noite na midia isso se trata de um ataque implacavel pelo inimigo e nao tem nada a ver com a maioria dos gays que ao meu ver sao vitimas, em breve todos estados nos EUA aceitarao o casamento gay, isso em parte colocara um pressao enorme na igreja que se recusar a realizar o casamento gay correra o risco de perder seu status de insencao de impostos, O que a igreja escolhera? O dinheiro ou o principio? meu irmao nao queira saber. Como ja comentei antes nesse blog, os dias que Joseph Smith, Brigham Young, Nefi, Moroni etc… temiam esta bem proximo.

      • Leandro disse:

        Olá, Fábio. Eu não acredito que homossexualidade seja uma escolha, eu acho que a pessoa nasce assim. O que tentei dizer e falhei, foi que há diferença entre ser homossexual e ter problemas de identificação sexual.
        Bom ano novo!

      • Fabio disse:

        A estatistica citada de 0,2% sobre a sindrome de Klinefelter parece fazer sentido se analizarmos a media de gays por populacao, vemos que 0,2% constitui 200 criancas por cada 1 milhao de habitantes, se esse for o caso isso comprova que a genetica tem um papel fundamental nesse problema. Obrigado pelos links.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s