Ordenanças do Templo – parte 1

Unções e abluções, investiduras, selamentos e segundas unções constituem as mais sagradas cerimônias do mormonismo. Elas são geralmente chamadas pelos santos dos últimos dias de “ordenanças do templo”, uma vez que, para a imensa maioria dos mórmons que as praticam, são realizadas unicamente em templos, longe da esfera pública, onde a admissão não é livre sequer para qualquer membro. É importante lembrar, no entanto, que a prática de tais cerimônias “do templo” antecedeu a construção de qualquer templo mórmon, sendo realizadas ao ar livre ou em casas e outros prédios sem um uso exclusivamente religioso.

js_portraitFalando sobre a investidura, em 1 de maio de 1842, Joseph Smith fez questão de lembrar que as cerimônias do templo poderiam ser obtidas fora de prédios especiais:

Há certos sinais e palavras pelos quais falsos espíritos e personagens podem ser detectados dos verdadeiros, que não podem ser revelados aos élderes até que o templo esteja completo. O rico pode obtê-los apenas no templo. O pobre pode obtê-los no topo da montanha como fez Moisés. Há sinais no céu, terra e inferno e os élderes devem conhecer todos para ser investidos de poder, para terminar seu trabalho e evitar falsificação. O demônio conhece muitos sinais mas não conhece o sinal do Filho do Homem, ou Jesus. Ninguém pode dizer que conhece Deus até que tenha tocado algo, e isso só pode ser feito no Santo dos Santos. [1]

Pode ser inusitado para os membros da Igreja sud contemporânea encontrar referências em diários pessoais ou mesmo discursos públicos ao uso das vestes cerimoniais, altares e outros símbolos “templários” fora do templo, incluindo a realização da forma de oração ensinada durante a investidura.

 

Precedentes para os Círculos de Oração

Desde seus primórdios o mormonismo foi rico em simbologia material, incluindo a utilização de objetos como meios para obtenção de conhecimento divino. Joseph Smith, por exemplo, utilizou o Urim e Tumim e uma “pedra de vidente” para traduzir o Livro de Mórmon e obter revelações.[2] Isso viria a influenciar também a maneira como os primeiros mórmons viam a oração.

No andar superior da loja de Newel K. Whitney, reunia-se a Escola dos Profetas

No andar superior da loja de Newel K. Whitney, reunia-se a Escola dos Profetas

Zebedee Coltrin

Zebedee Coltrin

O primeiro registro de oração com os membros formando um círculo é da Escola dos Profetas, realizada em Kirtland, em 1833, no andar superior da loja de Newel K. Whitney. Contando sobre o funcionamento da Escola, cinco décadas depois, Zebedee Coltrin relatou:

Eles abriram com oração, Joseph então deu instruções para preparar suas mentes. Ele disse para ajoelharem e orarem com as mãos levantadas. (…) Mais ou menos na época em que a escola foi primeiramente organizada, alguns desejavam ver um anjo, e um número [deles] juntou-se em círculo e orou. Quando a visão veio, dois dos irmãos se encolheram e pediram para a visão se fechar ou iriam perecer. [3]

Em 1835, Joseph Smith deu instruções ao pai de Lorenzo Young sobre um grupo orar em uníssono a favor da cura de seu filho: “um falando e os outros repetem depois dele em uníssono (. . .) continuando a administração desta forma até receber um testemunho de que ele será restaurado”. [4]

Casa de Tijolos Vermelhos

Casa de Tijolos Vermelhos

A elaborada “verdadeira ordem de oração” praticada durante a investidura, porém, não seria revelada aos santos antes de 1842.  Na casa de tijolos vermelhos em Nauvoo, Joseph Smith reuniu-se com um grupo de nove homens em seu escritório, no dia 04 de maio . Ele e seu irmão Hyrum ministraram ao restante do grupo a “ordem sagrada”, recebendo no dia seguinte as mesmas cerimônias. Acredita-se que naquela primeira ocasião em que foi dada a investidura, também a verdadeira ordem de oração foi ensinada e praticada. Mas com uma composição exclusivamente masculina, ainda faltavam elementos para sua total implementação.

No próximo post desta série, veremos mais sobre o desenvolvimento dos rituais em Kirtland.

 

 

 

NOTAS

1. The Words of Joseph Smith, p. 119-20.

2. Como as revelações registradas em Doutrina e Convênios, seções 3, 6, 7, 11, 14, 15, 16 e 17.

3. Ata da Escola dos Profetas, Salt Lake City, 11 de de outubro de 1883, p. 69. Citado por Quinn, Latter-day saint prayer circles. BYU Studies 19, n.01, 1978.

4. “Biography of Lorenzo Dow Young,” Utah Historical Quarterly 14:45). Citado por Ehat & Cook, The Words of Joseph Smith, p. 54

About these ads

Um comentário sobre “Ordenanças do Templo – parte 1

  1. Interessa-me saber a respeito de modificações nas cerimônias templárias ao longo da História da Igreja, principalmente na cerimônia da Investidura. Sabemos que muito recentemente algumas mudanças ocorreram na cerimônia chamada Iniciatória. Creio que estas mudanças aconteceram de acordo com as circunstâncias, mas acredito também que alguma coisa pode ser meramente especulativa. Este deve ser tema para outro post da série? Creio que esta pode ser uma das séries mais interessantes do vozes mórmons.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s